segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Palavras retorcidas


Às vezes tenho a impressão de escrever em meu corpo palavras que guardo apenas para mim, e aos olhos dos outros ficam impossíveis de serem lidas...
Quantas foram vezes que rabisquei a ânsia de viver um grande amor e acabei revivendo o mesmo amor que por muito já me fez sofrer...
Não adianta tentar esconder em palavras tortas um amor verdadeiro, que se engana em tentar ver-se só.
Eu amo as palavras que não as escrevo, que não leio e que não vejo se apagar... Amo a pessoa que as carrega, dona do beijo mais novo, o beijo não consigo esquecer.
Que inconstância viver um novo amor sem antes esquecer a dona das minhas palavras, aquela que me faz sofrer, a mesma que já amei tantas outras vezes, e até hoje nunca consegui esquecer...
Às vezes tenho a impressão de escrever em meu corpo palavras que guardo apenas pra mim, e aos olhos dos outros formam frases que eu simplesmente não consigo ler.

(Amor inacabado – Leonardo Kifer)

Nenhum comentário:

Postar um comentário